terça-feira, 14 de agosto de 2012

Tertúlia de Cinema XV: Ficção-Científica

Desde cedo que a ficção-científica faz parte do imaginário do Homem… desde cedo, muito cedo, que o cinematógrafo foi a grande invenção para o imaginário do Homem concretizar ou materializar de forma mais concreta (falemos das imagens que sempre foram a grande falha que a literatura oferecia, o que para muita gente não é falha pois deixa essa vertente no imaginário do homem) esse fascínio pela ficção-científica, pelo desconhecido e pela fuga à realidade com o futuro em mente, o choque do futuro que, mais que qualquer “inclinação” para a vida alienígena que possa ter surgido no cinema, sempre se direcionou para o advento tecnológico e sobretudo para o eterno conflito entre Homem/Máquina. No entanto, a coisa é mais complexa, e na verdade um filme que se restrinja somente à vertente da ficção é muito provavelmente uma nulidade. Na sua génese, a ficção-científica lida com os medos, com o fascínio, os desejos e a procura do homem em relação ao tempo e ao espaço futuros. As escolhas para este tema foram:

- “Metropolis” do Fritz Lang, é aquele que muito provavelmente terá sido o primeiro grande filme de ficção-científica (não nos esqueçamos, ainda assim, do “Le voyage dans la lune” do Méliès);

- “Solyaris” do Tarkovsky que recorre à fé e à procura interior no futuro e num planeta diferente;

- “Fahrenheit 451” do Truffaut que lida com a aniquilação da literatura num futuro próximo e totalitarista como uma alusão ao alienamento causado pelas novas tecnologias.




1º Metropolis (1927)



Realizador: Fritz Lang
Ficha técnica do imdb.




2º Solyaris (1972)



Realizador: Andrey Tarkovskiy
Ficha técnica no imdb.






3º Fahrenheit 451 (1966)



Realizador: François Truffaut
Ficha técnica no imdb.




Tertúlia planeada por Álvaro Martins (Preto e Branco)

6 comentários:

  1. Não assisti ao filme Fahrenheit, mas li o livro várias vezes. Acho que é uma distopia atordoante, pois se trata de algo totalmente atual, sem perder o foco e a realidade de vista.

    Ficção científica serve para apontar tendências, mas acima de tudo para retratar nossos medos, nossas paranoias.

    @Sybylla_ momentumsaga.com

    ResponderEliminar
  2. Espectaculares as escolhas! Também ainda não vi Fahrenheit 451...

    R: Caramba tens razão!! É uma das coisas que me passaram completamente ao lado, como é possível... De Niro esteve mesmo no Godfather 2 !! Quando me disseste fui logo tentar encontrar a audição, ele fez a audição para Sonny e estava muito bom não admira que Coppola tivesse gostado:

    http://www.youtube.com/watch?v=4tdgBlZc8Wc

    Obrigado pelo comentário, vou já tratar de ver "Raging Bull". Ainda tenho muito para aprender =)...

    ResponderEliminar
  3. Ele até venceu o Óscar pelo Padrinho II (acho). Actor excepcional :)

    Partilho desse teu espírito de querer desocbrir e aprender. Olha curiosamente o "Taxi Driver" vai voltar a ser exibidos nos cinemas - uma versão restaurada.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Humm... não sou grande fã de ficção cientifica e não vi nenhum desses filmes :(
    Respondendo ao teu comentário, realmente não foi o primeiro do Affleck. Eu vi o gone baby gone mas pensei que tinha sido realizado pelo irmão Casey, enfim, é muito Affleck junto :p

    ResponderEliminar
  5. Acho que são obras obrigatórias, independentemente do género, se ficares curiosa depois diz o que achaste.

    De momento este blog está "congelado", mas a ideia era precisamente discutir estes filmes em questão.

    obrigado pela visita

    ResponderEliminar